22 de set de 2012

Resenha: Morte dos Reis - Bernard Cornwell


Título: Morte dos Reis
Original: Death of Kings
Série: Crônicas Saxônicas/Saxon Stories #06
Autor: Bernard Cornwell
Páginas: 378
Editora: Record

Sinopse: O amado rei Alfredo está em seu leito de morte. Vendo os dias do soberano se aproximarem do fim, a nobreza saxônica está inquieta: o herdeiro ao trono, príncipe Eduardo, não tem a mesma popularidade do pai, e seus inimigos são numerosos. Enquanto candidatos à coroa surgem a todo o momento, os vikings, antigos adversários dos saxões, se preparam para aproveitar a instabilidade em Wessex e atacar o reino rival. Mas Alfredo fará de tudo para garantir que a paz que instaurou em seu reino perdure após sua morte. Para isso, ele conta com Uhtred, guerreiro saxão que o serve há anos.

Depois de derrotar o exército de Haesten em Beamflot, outro perigo se aproxima: a mort
e de Alfredo, o Grande. Com a saúde extremamente debilitada, a qualquer hora o rei pode morrer e os dinamarqueses só pensam em se aproveitar desse momento para finalmente conquistar Wessex, depois de várias tentativas frustradas.

Para mim, o 6º livro das Crônicas Saxônicas não manteve o bom ritmo dos livros anteriores. Não que isso seja ruim, mas eu estava tão acostumado com aquela narrativa deslumbrante que não senti a mesma coisa com esse livro. Tirando esses contras, o resto ficou ótimo!

"Há épocas em nossa vida em que nada parece estar acontecendo, quando nenhuma fumaça revela uma cidade ou uma propriedade incendiada e poucas lágrimas são derramadas para os mortos recentes. Aprendi a não confiar nesses tempos, porque se o mundo está em paz significa que alguém está planejando uma guerra."

Morte dos Reis é um livro repleto de armadilhas muito bem planejadas. Uhtred precisa utilizar-se desse artifício para escapar das lâminas dinamarquesas, pois o inimigo está sempre em maior número. Além disso, como já é de praxe da série: TRAIÇÕES. Uma pior que a outra, podendo até mesmo mudar o rumo da guerra...

"Se fracassasse, a profecia de AElfadell seria cumprida e Uhtred de Bebbanburg morreria naquele miserável pântano invernal e eu mataria a maioria dos homens que estavam ao meu lado. E como eu amava aqueles homens! Naquela noite fria e sofrida, enquanto avançávamos para uma luta desesperada, eles estavam cheios de entusiasmo. Confiavam em mim como eu confiava neles. Juntos ganharíamos reputação, homens em salões por toda a Britânia contariam as histórias de nossas façanhas. Ou de nossa morte. Eram amigos, homens jurados, jovens, guerreiros, e com homens assim seria possível penetrar nos portões do próprio Asgard."

Não posso esquecer de falar da decepção de Uhtred ao saber que seu filho de mesmo nome deseja ser padre e não guerreiro, como seu pai desejava. Logo ele que é filho do maior guerreiro saxão!

A princípio, pensei que esse era o último livro da série, mas pelo visto haverá mais. O sétimo livro só chegará ao Brasil em 2014 e, a princípio, se chamará O Senhor Pagão.

Pontos fortes: gostei bastante do lado político adotado nesse livro. Me lembrou um pouco As Crônicas de Gelo e Fogo, com as suas tramas bem desenvolvidas...
Pontos fracos: muita enrolação e pouca batalha. Para quem estava acostumado à carnificina desenfreada dos outros livros, esse deixou um pouco a desejar.

Avaliação final:

As Crônicas Saxônicas:

1º livro - O Último Reino
2º livro - O Cavaleiro da Morte
3º livro - Os Senhores do Norte
4º livro - A Canção da Espada
5º livro - Terra em Chamas
6º livro - Morte dos Reis
7º livro - O Guerreiro Pagão
8º livro - O Trono Vazio
9º livro - Warriors of the Storm
10 livro - Ainda sem nome
...

18 comentários:

  1. Ola, de novo heheheh.
    Estou adorando as suas resenhas desta saga(podemos dizer?).
    Estou ate com vontade de começar a ler.
    A morte dos Reis é o ultimo livro?
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode começar, Solange, você não vai se arrepender! Não é o último livro. A história ainda não acabou e pelo que eu ouvi falar serão pelo menos OITO livros.

      Beijos.

      Excluir
    2. Vagner,
      Também partilho da sua opinião, começei a ler a coleção por um acaso em alguns dias de férias e realmente achei o sexto livro bem "enrolação" comparado aos demais. Acho que essa série daria um filme bem interessante.

      Excluir
    3. Bah, com certeza daria um filme interessante, Julivan, mas acho que seria um filme de altíssimo custo. Enquanto não há notícia sobre isso, eu assisto à série Vikings no History Channel. Já chegou a assistir algum dia?

      Excluir
  2. Olá muito interessante esse livro eu gosto dessa proposta contando histórias vikings. Muito legal sua resenha. Beijos.

    http://umlugarnaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Mara. Essa temática viking atrai qualquer um! HAEUHEAUHAEUHAE

      Beijos.

      Excluir
  3. Cenas de carnificina? Adoro. Ainda não tinha visto interesse nessa série, mas depois de sua resenha Vagner, acho q vou mudar de posição deles no meu booklist, mas não antes de completar a minha coleão do As Crônicas de Gelo e Fogo. Pq se não vou me confudir. Bjs!!!

    Http://peregrinodanoite.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adoro cenas de carnificina, Bruno! Eu te recomendo mesmo terminar as Crônicas de Gelo e Fogo, pois são livros bem distintos e fica fácil de se confundir.

      Abração!

      Excluir
  4. Como todo conto que tem reis e rainhas, batalhas e lutas pelo poder, acaba sempre com grandes aventuras. Mas este livro não tem tantas lutas assim e a resenha ficou muito boa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro com poucas batalhas, Maristela, se formos comparar com os primeiros da série. Mesmo assim, não tira nem um pouco do brilho...

      Excluir
  5. O último livro lido por mim, dessa coletânea foi "Terra em Chamas" ( Bernard Cornwell ), o quinto volume de Cronicas Saxônicas, na minha opinião o melhor dos 5 livros lidos até o momento ( claro está que haverá continuação, pois o nosso caro Uhtred de Bebbamburg, filho de Uhtred, neto de Uhtred e pai de Uhtred o Jovem, me parece com muita disposição para dar seguimento às suas matanças...)...uma verdadeira pérola "cornwelliana"...literatura para "machos", vejam esse excerto do livro 5 :

    "Eu havia baixado o escudo de modo que eles pudessem ver o sangue espalhado na cota de malha, na máscara do elmo e o que coagulava na lâmina de Bafo de Serpente. Meu elmo era encimado por um lobo de prata, o cinto tinha placas de ouro e meus braceletes brilhavam através do sangue. Eles viram um comandante guerreiro e eu me aproximei dez passos, para mostrar que não tinha medo de piratas.

    - Sou Uhtred de Bebbanburg - disse eu - e lhes dou uma escolha. Vocês podem viver ou morrer. Rollo, atrás de mim, havia começado a música dos escudos. Seus homens batiam com as lâminas contra a madeira de tília, no ritmo sombrio da promessa de morte. / Somos dinamarqueses - gritei aos frísios - e somos saxões, e todos somos guerreiros que amam lutar. Em nossos salões, à noite, cantamos histórias dos homens que matamos, das mulheres que tornamos viúvas e das crianças que tornamos órfãs. Então façam sua escolha! Ou me deem uma nova canção ou baixem as armas."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma literatura para macho mesmo, Sergial. AEHUAEHUAHEUHAEHA
      O 5º livro é o melhor dos 6 até agora. Tem cada batalha e a narração é ímpar. Não tem como não gostar do Cornwell.
      Muito obrigado por disponibilizar mais trechos desse excelente livro!

      Excluir
  6. Poxa eu li e fiquei com a sensação de que o livro começaria mesmo apos a batalha no pantano proximo a Huntandon. Pra mim ele(Bernard) poderia ter dado um aproveitamento melhor as ações de Æthelred na retaguarda dos dinamarqueses, algumas ações ficaram sem desenvolver - como o ataque aos "anjos" e as ações de Steapa durante a batalha - entre outras coisas....
    caberiam muitas paginas nesse livro... =(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Raimundo. Pensei bem a respeito do que você falou e também fiquei com essa mesma sensação. Mas esperamos que o próximo livro seja melhor!

      Excluir
  7. Enquanto lia o livro tive a sensação de que tinha alguma coisa "faltando" nele, e só fui realmente notar o que "faltava" depois de ler a tua resenha... é a carnificina e a sanguinolência tão marcante nos outros livros que não é tão presente nesse. Claro que ainda há os momentos de selvageria, mas nem de longe tantos quanto nos outros. Eu senti falta, eram as minhas partes favoritas do livros, mas ainda assim é um livro maravilhoso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que essa resenha te ajudou a descobrir o que faltava! Agora é aguardar pelo próximo livro, que talvez chegue ao Brasil no 1º semestre de 2014, e ver se o Cornwell volta com aquelas matanças que deixam os fãs loucos por muito mais.

      Abraços!

      Excluir
  8. Possuo os 05 outros livros e a história é excelente!!

    Comprei essa semana no 06º e vi que o tipo da capa é diferente das outras. A capa do Morte dos Reis é lisa...também percebi que as folhas são brancas enquanto dos outros 05 são meio "amarela". Só o meu é assim, ou é normal desse livro 06?


    Deixando para parabeniza-lo pela ÓTIMA resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu 6º livro também é diferente, Bruno, e eu não gostei da mudança. Achava o tipo da capa dos anteriores muito mais bonita e a folha também era melhor. Ainda bem que a história compensa! rsrs

      Abraços e obrigado pelos elogios!

      Excluir

Em breve, sua opinião será lida e respondida. Obrigado por comentar no Desbravando Livros!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...