24 de jul de 2015

Resenha: Roubo de Espadas - Michael J. Sullivan


Título: Roubo de Espadas
Original: Theft of Swords
Série: Revelações de Riyria/Riyria Revelations #1
Autor: Michael J. Sullivan
Páginas: 602
Editora: Record (2013)

Sinopse: Royce Melborn e Hadrian Blackwater, os ladrões mais habilidosos de todos os reinos, construíram sua fama ao realizar façanhas aparentemente impossíveis. Porém, após concordar em roubar uma famosa espada do interior de um castelo, os dois se envolvem numa trama repleta de armadilhas, anões, elfos, conspirações políticas, magia e, sobretudo, perigosas reviravoltas. Para completar a missão com sucesso, Royce e Hadrian precisam ser cuidadosos ao escolher inimigos e aliados, pois não é apenas a vida da dupla que está em jogo,mas o futuro da Igreja, dos reinos e de todo o mundo.

Li Roubo de Espadas no começo de 2014 e (não lembro o porquê) acabei não fazendo resenha do mesmo, então resolvi deixar essa preguiça pra trás e trazer a minha opinião sobre esse bom livro.

"Roubo de Espadas" é dividido em duas partes, que primeiramente foram lançadas como livros únicos e depois algumas editoras começaram a juntá-las, como (felizmente) foi o caso da Record, pois o número de páginas, 602, não é relativamente grande, eliminando a necessidade de ter dois livros com 300 páginas cada. As duas partes chamam-se A conspiração pela coroa e Avempartha.

Os protagonistas? Uma dupla de ladrões em busca de trabalho.

Hadrian Blackwater é aquele típico cara fortão, boa parte, que, apesar de trabalhar com um ladrão, não deixa a honra em segundo plano, lutando pelo que lhe parece certo e seguidor dos códigos de um bom cavaleiro, potencializados com a sua grande habilidade com uma espada. Já Royce Melborn é totalmente o oposto disso, o importante para ele é ter lucro, escolher um trabalho que traga muitos frutos e dar o fora o mais rápido possível, de preferência para outro trabalho que lhe dê ainda mais dinheiro. E os dois juntos funcionam incrivelmente bem, por incrível que pareça. Ambos fazem parte de um grupo chamado Riyria, cujas informações não são muito precisas e devem estar sendo jogadas ao longo da trilogia, mas muitos detalhes do passado da dupla rendem bons momentos, mesmo que eu tenha ficado com aquele gosto de quero mais no final da leitura.


Encarregados de roubar uma espada que se encontra dentro do castelo do rei de Melengar, ambos acabam envolvidos no meio de uma trama política entre os partidos imperialistas, aqueles que desejam reunir a humanidade em torno de um líder e descendente direto do semideus Novron, os nacionalistas, que pretendem escolher um líder pelo povo, e os monarquistas, que desejam a manutenção do poder nas mãos dos seus monarcas, Hadrian e Royce terão que se desdobrar para sair vivos dessa enrascada, que mexe com os ânimos já exaltados de diversas nações de Elan. Esses são alguns dos fatos iniciais relatados na primeira parte desse livro, A conspiração pela coroa.

"Para os nobres, a vida era isto: um grande jogo de xadrez, com cavalos, reis e peões. Não existiam o bem e o mal, nem o certo e o errado. Tudo era questão de política. Um jogo dentro de um jogo, com as suas próprias regras e carente de valores."

Esse mundo, Elan, é o que sobrou de um antigo império extinto há muitos anos, atualmente dominado por religiosos que cultuam o imperador Novron. Algo grande está por vir, posso sentir.


Na segunda parte, Avempartha, Royce e Hadrian aceitam uma missão que consiste em adentrar uma torre e matar um monstro lá existente, ajudando a vila próxima que está sofrendo com os ataques. Alguns personagens aqui reaparecerem, como a princesa Arista, de Melengar, que agora é embaixadora e está atrás do Herdeiro de Novron, procurado pela Igreja e aguardado há tempos.

Mesmo que tenha parecido promissor, não gostei tanto desse livro. As cenas de batalhas não foram muito bem escritas, os personagens secundários deixaram a desejar, tirando 1 ou 2 deles. Se não fosse a dupla principal, acho que nem me importaria com os restantes. Praticamente só Hadrian e Royce funcionaram aqui, então espero ver algo melhor e mais bem explorado nos próximos livros, principalmente no que é relacionado à Arista, a princesa da nação Melengar, um respeitável reino.

Algumas criaturas mágicas, como magos, anões e elfos também estão presentes nessa obra e têm lá as suas características peculiares, mesmo que se pareçam com as das demais obras do gênero.

Apesar de ter achado Roubo de Espadas "um pouco mais do mesmo", essa série tem lá as suas características próprias e alguns aspectos que parecem interessantes, principalmente a questão da religião, o tal herdeiro de Novron que estão à procura e o dinamismo dos dois ladrões. Algum dia pretendo ler as sequências, pois as opiniões que vi por aí me deram um pouquinho de esperança.

Avaliação final:

Revelações de Riyria:

1º livro - Roubo de Espadas
2º livro - Ascensão do Império
3º livro - Heir of Novron

14 comentários:

  1. Me interessei pelo livro, mas é um dos que ficarão na fila, pois tenho uma estante cheia de livros ainda não lidos hahahahaha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem precisa pular a fila tão cedo, lê quando estiver procurando por uma leitura mais simples mesmo, tem livro melhor por aí. Abraços!

      Excluir
    2. Seguirei seu conselho então haha

      Valeu!

      Excluir
  2. Eu gostei bastante desse livro, mas concordo que em alguns momentos a história é "um mais do mesmo", embora o Michael tenha uma escrita muto boa. A minha leitura do segundo livro está meio parada, mas até onde li, já mostra que o livro será bem melhor do que o primeiro. Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A escrita dele é bem boa, Cassiana, mas não é nada "sobrenatural" a ponto de fazer os seus livros pularem na frente dos outros. Vamos ver se consigo desbravar o 2º alguma hora dessas, mas por enquanto vou sem pressa mesmo. Abraço!

      Excluir
  3. Acabei de finalizar a leitura desta obra.Também achei a primeira parte do livro muito boa, mas a segunda parte não me convenceu. Achei a história fraca. Estou torcendo para os próximos volumes serem melhores.

    bomlivro1811.blogspot.com.br .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Maurilei, ficou faltando alguma coisa pra tornar essa história realmente boa, vamos ver se no 2º algo inesperado acontece. Até mais!

      Excluir
  4. Puxa, faz tempo que não passo por aqui! Este livro está na minha lista de leitura, mas foi bom ter lido sua resenha. Eu provavelmente me decepcionaria muito se lesse o livro esperando algo no nível de Nobres Vigaristas (pois o livro entrou na minha lista justamente por ser sobre ladrões).
    Abraço!
    Sonhos, Imaginação & Fantasia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é do mesmo nível da série do Lynch, Laís, mas o pessoal comenta bastante que o 2º e o 3º são bem melhores que esse aqui. Enfim, talvez eu arrisque um dia, mas não tão cedo!

      Abração e obrigado por passar aqui no blog, às vezes temos tanta coisa pra fazer que esquecemos. hauhauhuah

      Excluir
  5. Olha, eu estou lendo o segundo.... gostei demais do livro.
    O autor tem boa escrita, desenvolve bem o tema, os personagens sao divertidos.
    Acredito que sim, vale muito a pena ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber que as coisas melhoram no 2º livro, Douglas. Por enquanto não senti firmeza em continuar, mas um dia darei uma chance à sequência.

      Até a próxima!

      Excluir
  6. Eu me surpreendi com os livros! São excelentes!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já leu toda a trilogia, Bruno? O que achou do 2º livro? Ele melhora bastante em relação a Roubo de Espadas?

      Excluir

Em breve, sua opinião será lida e respondida. Obrigado por comentar no Desbravando Livros!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...