3 de fev de 2015

Resenha: O Lobo das Planícies - Conn Iggulden


Título: O Lobo das Planícies
Original: Wolf of the Plains ou Genghis: Birth of an Empire
Série: O Conquistador/Conqueror
Autor: Conn Iggulden
Páginas: 420
Editora: Record (2008)

Sinopse: Temujin, segundo filho do chefe dos lobos, tinha apenas onze anos quando seu pai morreu numa emboscada. A família foi expulsa da tribo e deixada sozinha, sem comida nem abrigo, para morrer de fome nas duras planícies da Mongólia. Foi uma dura introdução a um súbito mundo adulto, mas Temujin sobreviveu, aprendendo a combater ameaças naturais e humanas. Em pouco tempo, um pequeno exército de desgarrados se une a Temujin, marcando o início de uma nova identidade tribal. Enfrentando todos os perigos, o jovem líder chega à conclusão que mudaria toda a História: o maior inimigo era a divisão causada por séculos de guerra entre as tribos. Para unir seu povo, em breve Temujin iria se tornar o Gêngis Khan. O lobo das planícies traz vívidas descrições de lutas e estratégias de guerra, misturadas com cenas da vida comum à época. Mesclando ficção e acurada pesquisa histórica, Iggulden consegue criar uma trama repleta de reviravoltas e coberta de emoção. 

Esse livro estava há anos na minha cabeça e sempre tive vontade de desbravá-lo, mas infelizmente o tempo ia passando e a hora dele nunca chegava, até que comecei a assistir ao seriado Marco Polo e finalmente me veio a inspiração para ler a tão recomendada obra de Conn Iggulden. Só me restou pegar o e-book original e começar a desbravar. O Lobo das Planícies é o primeiro livro da série O Conquistador, composta por 4 outros, e nos apresenta o início da vida de Temujin, filho do chefe da tribo dos Lobos, vivendo em terras mongóis.

Tudo começa a dar errado quando o pai de Temujin morre após ser atacado por alguns Tártaros, o que desencadeia uma série de tragédias na vida dele. O novo khan dos Lobos abandona a família de Temujin no meio de um inverno rigoroso e sem comida, deixando-os lá para morrer. Vale destacar aqui a fibra moral e a força de vontade da mãe do protagonista, pois eu não imagino a dificuldade de se criar CINCO filhos em um local praticamente sem comida e com a ameaça de ser morto por qualquer grupo de guerreiros que aparecesse.

“There was no justice in the world, but he had known that ever since the death of his father. The spirits took no part in the lives of men once they had been born. A man either endured what the world sent his way, or was crushed.”

A escrita do autor é simples e direta, sem muitos rodeios e, mesmo que os primeiros 57% do livro são dedicados a Temujin dos 11 aos 14 anos, isso não tornou-se monótono em momento algum, tanto é que eu sempre terminava um capítulo e ansiava por mais, queria descobrir o que acontecia com a família do protagonista e o que eles fizeram para sobreviver, as provações que tiveram que passar para aguentar um ambiente tão hostil e perigoso.

O tempo passa e eles sobrevivem, sempre com a ameaça de aparecer algum Tártaro pelo caminho ou a tribo dos Lobos voltar para ver se o inverno fez o serviço completo. O ódio de Temujin e seus irmãos pelo atual khan dos Lobos é tão, mas tão intenso, que a vida deles resume-se a vingança, pela alma de seu pai, pela chance de poderem viver novamente.

Lembro também da parte inicial do livro, quando Temujin e seus irmãos saem na busca por um filhote de águia no topo de uma montanha para dar de presente ao pai e acabam encontrando dois deles, como se isso fosse uma vontade dos deuses. Nessa parte já podemos perceber a forte relação que os irmãos terão ao longo da história, seja para o bem ou para o mal, como o leitor acabará descobrindo alguns capítulos depois.


Esse livro é só o começo da história de uma nação, de um homem que manteve os fantasmas do seu passado bem vivos na sua cabeça para que ele se tornasse um líder cruel e sem medo de expandir os seus territórios, matando qualquer um que aparecesse no seu caminho e tentasse atrapalhar o seu sonho: juntar todas as tribos mongóis em uma só, torná-los somente um povo.

“You will revenge my father's death and we will be one tribe across the face of the plains, one people. As it should always have been. LET THE TARTARS FEAR US THEN! LET THE CHIN FEAR US!”

Conn Iggulden focou intensamente na parte psicológica do personagem principal e seus familiares nesse livro, trazendo à tona todas as adversidades passadas por Temujin na sua infância e como isso realmente moldou o seu caráter para que ele se tornasse como é conhecido hoje: o maior conquistador da História, o implacável e impiedoso Genghis Khan, reverenciado até hoje como um dos maiores estrategistas que o mundo teve a honra de conhecer.

“We are the silver people, the Mongols. When they ask, tell them there are no tribes. Tell them I am khan of the sea of grass, and they will know me by that name, as Genghis. Yes, tell them that. Tell them that I am Genghis and I WILL RIDE.”

Tchê, eu preciso mesmo dizer que eu gostei demais desse livro? A história de Temujin é LINDA, se é que existe uma palavra melhor para descrevê-la, e só desbravando-a será possível entender como viveu Genghis Khan e sua família. São vários momentos de tensão durante a narrativa que fica difícil não torcer por Temujin e vibrar quando os seus golpes encontram o coração do inimigo, quando ele sofre por estar quase morrendo, quando ele está na linha de frente em uma batalha, quando ele está só respirando, enfim! haha

Leitura recomendadíssima, principalmente para quem gosta de livros no estilo de Bernard Cornwell. As batalhas são bem descritas, os conflitos do personagem com as pessoas próximas são bem intensos e vocês irão se surpreender com a qualidade da escrita de Iggulden, juntando uma narrativa simples com fatos históricos (alguns foram mudados, já que essa é uma obra de ficção). Pretendo ler o segundo ainda em 2015, Temujin certamente merece mais atenção!

Avaliação final:

O Conquistador:

1º livro - O Lobo das Planícies
2º livro - Os Senhores do Arco
3º livro - Os Ossos das Colinas
4º livro - Império da Prata
5º livro - Conquistador

12 comentários:

  1. Elogiar o livro e ainda comparar com Bernard Cornwell é sacanagem! Vou ter que pôr na lista. Gostei da temática mongol. (Na verdade, tava a fim de ler Iggulden mesmo, vc recomenda algum outro livro dele?)

    Bjs!
    Isa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cruel comparar assim, né? Fica impossível não ler depois!! HAHAHA

      Essa temática mongol é pouquíssimo abordada na ficção histórica, a temática asiática em geral, pra falar a verdade, e é sempre bom ler algo diferente do comum (Inglaterra, diga-se de passagem). Esse foi o único livro que li dele, mas o pessoal diz que a série O Imperador também é legal, mas que a melhor mesmo é essa do Genghis Khan.

      Abraços e obrigado por passar aqui!

      Excluir
  2. Vagner, me interessei muito por esse livro e acabei de compra-lo no submarino, os cinco livros da séria por 70 reias e acabei comprando também o guerreiro pagão. Abraço

    www.bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, já comprou? ASHUHASUHSAU

      Boa leitura! Só uma coisa antes: "O Guerreiro Pagão" é o sétimo livro das Crônicas Saxônicas. Te recomendo ler os outros seis primeiro. Abraço!

      Excluir
    2. Pois é Vagner, percebi isso depois de ter comprado. Vou adquirir os restantes para ler em ordem. Abraço.

      bomlivro1811.blogspot.com.br

      Excluir
    3. Adquira sim, tenho certeza que não irá se arrepender!

      Excluir
  3. Simplesmente espetacular O Lobo das Planícies em minha opinião. Este foi o primeiro livro de ficção história que leio, e agora estou muito animado para ler o restante desta saga e os vários livros que tenho do Bernard Cornwell. Vou acabar comprando também os livros de O Imperador do Iggulden, que devem ser muito bons também.

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um excelente livro, gostei muito desse início da história do Genghis Khan. Vou tentar ler a sequência ainda em 2015, não vai dar pra escapar!! ahuahuha

      E compre todos os livros desses autores, valem a pena!

      Excluir
  4. Respostas
    1. Terminei o 5º livro na semana passada e recomendo demais a série!

      Excluir
  5. O primeiro livro narra as histórias de Temujin nas infância, ele e seus 3 irmãos e sua irmã, ele conta como foi sua infância, adolescência até se tornar um jovem adulto. O primeiro livro é como uma entrada de restaurante, no final, convidando o leitor a ler a continuação. Estou no quarto livro de cinco, e digo que vale a pena.

    Os fatos históricos e as tramas contadas por Conn, me fizeram entrar em um mundo desconhecido, um povo do qual passei a admirar. Os livros não conta somente sobre o Império Mongol que foi duas vezes maior que o Romano, eles falam sobre uma nação unida por um homem, cujo objetivo era tirar o pé da garganta de seu povo, que por séculos esteve sobre o domínio jin (China).

    Enfim, o estilo de vida mongol, seus valores e tradições trazem uma inspiração "implacável".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa série é boa demais, o primeiro livro é muito forte "psicologicamente", impossível não querer acompanhar o Temujin depois do que ele passou na infância.

      Já li os 5 da série e farei a resenha dos dois últimos em breve, quando voltar de viagem. Ano que vem pretendo iniciar a série d'O Imperador!! :D

      Excluir

Em breve, sua opinião será lida e respondida. Obrigado por comentar no Desbravando Livros!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...